PDF pageEmail pagePrint page

POSTER-FBSerões com Histórias
“O Diário de Sarah: Uma nova-iorquina na Macau oitocentista”
Associação dos Antigos Alunos da Escola Comercial Pedro Nolasco.
Evento realizado em Português.
Orador Convidado: João Botas
Jornalista da RTP – Rádio Televisão Portuguesa e Autor do Blog Macau Antigo (macauantigo.blogspot.com).
Moderador: José Basto da Silva, Presidente da AAAEC.
O Diário de Sarah é um documento inédito com cerca de 200 anos que chegou às mãos do Jornalista João Botas, autor do dinâmico blog Macau Antigo e de outros livros sobre o território de Macau, onde viveu e estudou na adolescência.
Este diário a que teve acesso terá sido escrito por uma norte-americana, esposa de um comerciante que vinha a Macau e à China com frequência. A versão dactilografada que o jornalista obteve, com muitos anos, permite descobrir relatos de uma época em que o comércio fervilhava no sul da China.
Mas, até à data, é desconhecido o paradeiro do documento original manuscrito. «Depois de múltiplas verificações posso garantir que se trata de um relato verídico», contou João Botas ao jornal Hoje Macau numa entrevista no início de 2024.
O jornalista, que chegou ao contacto com descendentes de Sarah e do marido, vem agora a Macau e estará na Fundação Rui Cunha para uma sessão de Serões com Histórias, onde os escritos de Sarah nos vão permitir «viajar até à Macau de meados do século XIX, com muitas descrições de espaços, ruas e edifícios, permitindo fazer o retrato da comunidade de estrangeiros ocidentais que viviam no território, que eram poucas dezenas», numa população que, à data, não tinha mais do que 35 mil pessoas, a maioria chineses, e com apenas 4.500 portugueses e macaenses, segundo o Hoje Macau.
«A linguagem utilizada [no diário] é simples, mas o elevado número de pessoas mencionado obriga a muita pesquisa de contextualização, nomeadamente, sobre quem eram e o que faziam naquela época. É o que estou a fazer nesta altura, e está quase pronto», relatou também João Botas, afirmando estar em conversações com entidades públicas de Macau para a edição de um livro.
Não perca!